Gabriel BREZOIU – General Manager –  GEYC

Você usa tecnologias de mídia digital e social em seu trabalho de organização diária?

Sim, consideramos que as tecnologias digitais são um dos principais aspectos a serem integrados em um trabalho de organização juvenil. Nossa organização começou como um grupo informal de mídia social (GEYC Community) e agora reúne mais de 2500 membros em todo o país e na diáspora (particularmente na República da Moldávia através do programa #SupportMoldova, geyc.ro/moldova). Portanto, o digital está integrado de forma consistente em tudo o que estamos fazendo: temos reuniões eletrônicas, compromissos eletrônicos, a GEYC Community é o principal ponto de encontro de nossa comunidade para discutir e compartilhar oportunidades, coordenamos projetos através de ferramentas colaborativas e promovemos nosso trabalho através de mídia social. Além disso, a GEYC iniciou a European Digital Youth Summit – EDYS (www.edys.eu) e a rede europeia PRISMA (http://prisma-network.eu), uma coalizão européia de organizações lideradas por jovens interessadas em aumentar a qualidade do trabalho através de digital tecnologia.

Quem é um Voluntário digital? O que um voluntário digital precisa aprender?

Eu acho que um voluntário digital é uma pessoa voluntária em uma organização digital. Para uma melhor compreensão, precisamos fazer uma distinção entre uma organização digital (uma organização que integra ferramentas digitais em todos os seus processos) e uma organização que usa alguns meios digitais.

Esse voluntário precisa receber um treinamento sobre como usar as ferramentas digitais da organização para colaboração, promoção, gerenciamento de projetos, etc.

Como as habilidades digitais podem ajudar um funcionário voluntário / ONG a gerenciar melhor um projeto social?

Do meu ponto de vista, essas ferramentas são cruciais para a eficiência de uma organização: poupa tempo e recursos, torna as atividades mais fáceis de serem rastreadas e dá um sentimento de pertença aos membros. De acordo com os princípios do mercado único digital, as ONGs que trabalham e usam ferramentas digitais são mais propensas a trabalhar como uma rede, para compartilhar boas práticas e cooperar.

Na sua opinião, como as organizações sem fins lucrativos enfrentam a transformação digital? O que pode ser feito mais ou melhor?

Eu acho que as ONGs estão bastante abertas para novas ferramentas, mas isso também vem com uma desvantagem: às vezes eles adotam todas as ferramentas que eles encontram sem considerar a otimização da ferramenta e a integração nos processos organizacionais usando um plano estratégico. Por isso, eu aconselho todas as organizações, particularmente as novas a serem mais seletivas e a parar de abrir canais de mídia social, não têm recursos para gerenciar, parar de usar ferramentas digitais que são muito complexas para sua atividade e tentar identificar fácil. Para usar e ferramentas simples que são relevantes e necessárias para o seu trabalho.